Pular para o conteúdo

Aprovada a desoneração de dióxido de titânio por mais um ano

Abrafati apresentou pleito ao governo federal, que reconheceu a importância da medida.

 

O dióxido de titânio (TiO2) foi um dos temas em pauta na última reunião do GECEX (Comitê-Executivo de Gestão) da Câmara de Comércio Exterior do Ministério da Economia, realizada nos dias 17 e 18/12.

A partir de pleito apresentado pela Abrafati, foi decidida a manutenção dessa importante matéria-prima na Lista de Exceções à Tarifa Externa Comum (LETEC) por mais um ano. A alíquota de importação será reduzida de 12% para 8% e não haverá cotas. A decisão ainda será publicada no Diário Oficial da União, o que deve ocorrer nos próximos dias.

Essa medida foi resultado do trabalho consistente que vem sendo desenvolvido pela Abrafati junto ao governo federal, com apoio especializado, levando às autoridades informações que mostram, por um lado, o grande consumo dessa matéria-prima pelo setor e, por outro, sua grande importância na formulação das tintas.

A Associação defendia uma maior redução da alíquota, mas avalia que a decisão do governo é positiva, tanto por desonerar a importação em quatro pontos percentuais, quanto pela eliminação das cotas, que vinham se esgotando muito antes do seu prazo de validade.

Abrafati ocupará a primeira Vice-Presidência da LatinPin

Assembleia realizada no início de dezembro elegeu a Comissão Diretiva para o biênio 2021-2022.

 

A LatinPin, Federação Latino-Americana de Associações de Técnicos e Fabricantes de Tintas, realizou eleições em assembleia no último dia 09/12, escolhendo a sua Comissão Diretiva para os próximos dois anos.

Mantendo o forte compromisso da Abrafati em colaborar para a integração regional e o intercâmbio de conhecimentos e experiências, seu presidente-executivo, Luiz Cornacchioni, ocupará a 1ª Vice-Presidência da federação. A Presidência caberá a Arius Zúñiga, presidente da Anafapyt (Asociación Nacional de Fabricantes de Pinturas y Tintas, do México), enquanto Nicolás Iadisernia, presidente da Atipat (Asociación Tecnológica Iberoamericana de Pinturas, Adhesivos y Tintas, da Argentina), ficará com a 2ª Vice-Presidência.

Reunindo entidades dos principais países fabricantes de tintas da região (Brasil, México, Argentina, Colômbia, Uruguai e Equador), a LatinPin prosseguirá com as suas atividades relacionadas ao compartilhamento de informações e à definição de abordagens harmonizadas nos temas técnicos e institucionais em que isso for possível. Ao mesmo tempo, o plano de trabalho definido para 2021 envolve três objetivos principais: iniciar a estruturação de um sistema estatístico regional, tendo como ponto de partida o trabalho já desenvolvido no Brasil; avançar na discussão e construção de estratégias comuns relacionadas à sustentabilidade e à regulação; e ampliar a representatividade da federação, agregando novos integrantes e promovendo iniciativas com relevância e impacto.

Autores de três estudos técnicos de alto nível recebem o Prêmio Abrafati

Na cerimônia virtual de entrega, foi destacada a necessidade de impulsionar a inovação e a pesquisa.

 

No último dia 15/12 foi entregue o Prêmio Abrafati de Ciência em Tintas. Os três trabalhos vencedores foram escolhidos por uma Comissão Julgadora formada por especialistas do setor, com base na sua relevância e originalidade.

A cerimônia de entrega, realizada virtualmente, contou com a participação de grande parte do Conselho Diretivo e do Conselho Técnico-Científico da Abrafati, reafirmando o valor da pesquisa e da inovação para o setor, assim como a prioridade dada a esses temas pela Associação.

O primeiro lugar foi conquistado por Leandra Pereira dos Santos e Fernando Galembeck, da Galembetech Consultores e Tecnologia, com o trabalho “Grafite esfoliado e reorganizado: um novo retardante de chama”. Galembeck, que já havia vencido em 1994, destacou o significado do prêmio para sua carreira. Já Leandra, que foi sua orientanda no doutorado, ressaltou o incentivo que representa aos jovens pesquisadores.

O 2º lugar foi conquistado por pesquisadores ligados à Universidade Federal de Viçosa: Alana Alves Rodrigues, como autora, e o prof. dr. Márcio José da Silva, como orientador. Ambos já haviam sido premiados anteriormente, revelando a consistência e a constância das pesquisas relacionadas às tintas que são desenvolvidas nessa instituição. Desta vez, o trabalho reconhecido foi “Síntese one-pot de furoatos de alquila a partir de biomassa renovável para produção de agentes anti-incrustantes para tintas marítimas”.

Já a 3ª colocação foi obtida por Silvia Rosane S. Rodrigues e seu orientador prof. dr. João Henrique Zimnoch dos Santos (também já premiado em outra edição), da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com o trabalho “Inibidor de corrosão metálica, ambientalmente correto, à base de tanino, como potencial aditivo para tintas”.

Esta foi a vigésima-primeira edição do prêmio, promovido desde 1987 com um histórico muito positivo de contribuição para o desenvolvimento tecnológico na cadeia de tintas.

Em diferentes eventos, Abrafati explica os impactos do novo conceito de rendimento acabado

No início de dezembro, workshop, live e palestra abordaram o tema e mostraram como a informação deve ser apresentada nas embalagens.

 

No dia 26 de março de 2021, entra em vigor o novo conceito de rendimento acabado para tintas látex nas cores claras e vernizes à base de solventes. Essa melhoria foi definida no final de 2019, dentro do processo de revisão normativa, com prazo de 18 meses para vigência. O objetivo foi trazer maior clareza e uniformidade à informação sobre o rendimento, criando a exigência de que esteja indicado, na embalagem, quantos metros quadrados o volume de tinta ali contido cobre completamente.

Agora, faltando cerca de 100 dias para esse prazo, o interesse pelo tema – e pelas medidas necessárias para se ajustar às novas regras – está muito forte. Por isso, a Abrafati está desenvolvendo diversas ações para esclarecer esse novo conceito e seus impactos aos diversos públicos envolvidos com as tintas (fabricantes, fornecedores de matérias-primas e embalagens, revendedores, pintores, construtores, responsáveis por compras em empresas, arquitetos, decoradores e consumidores). Dentro desse conjunto de ações, nos últimos dias três eventos destacaram o novo conceito de rendimento acabado.

O primeiro deles foi um workshop, que reuniu mais de 110 profissionais dos 42 fabricantes que participam do PSQ, no dia 03/12. Depois de uma apresentação inicial sobre o tema, feita por Anne Costa, coordenadora técnica da Abrafati, ela e mais cinco especialistas ligados ao PSQ e à Associação responderam às dúvidas enviadas antecipadamente ou durante o evento.

Na sequência, vieram duas apresentações sobre o mesmo tema: em 08/12 Anne falou em live do Sitivesp direcionada aos pintores e dois dias depois foi a vez de Jairo Cukierman, diretor da Tesis Engenharia, abordar o rendimento acabado no 49º Fórum Paint & Pintura.

Novas ações estão programadas ao longo das próximas semanas, para difundir cada vez mais essa informação, que também já vem sendo replicada por outros players do setor.

 

Para assistir ao Workshop de Uniformização, acesse: https://youtu.be/pJCEAkqq718

Aprovada a primeira norma técnica referente a texturas

É um importante passo para que essa categoria de produtos passe a atender as necessidades de qualidade do mercado.

 

No final de novembro, mais uma importante norma técnica foi publicada pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas): a ABNT NBR 16912.

É a primeira norma técnica referente às texturas, aumentando para 38 o conjunto de documentos normativos relacionados às tintas imobiliárias, que vem se ampliando e consolidando – com constantes acréscimos e versões revisadas – a partir de 2002, quando foi implantado o Programa Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias (PSQ).

O avanço dos trabalhos deveu-se especialmente aos esforços do GT (Grupo de Trabalho) criado para conduzir essa atividade, dentro do CB-164, o Comitê Brasileiro de Tintas.

Com a participação de profissionais dos fabricantes e de fornecedores de matérias-primas, assim como de outros interessados no tema, o GT dedicou-se intensamente para que essa norma, que era uma demanda antiga do setor, se tornasse realidade.

Trata-se de uma norma que especifica o método de ensaio para determinação da resistência de aderência à tração em textura. O trabalho normativo relativo a essa categoria de produtos terá continuidade agora, mas com essa publicação foi dado um importante passo em direção à maior qualidade e isonomia competitiva.

 

A norma completa pode ser obtida na ABNT: https://www.abntcatalogo.com.br/norma.aspx?ID=457982

Está aberta a inscrição de trabalhos para o Congresso da Abrafati

Evento acontecerá de 28 a 30 de setembro do próximo ano, reunindo centenas de especialistas da indústria e pesquisadores acadêmicos.

O Call for Papers para o 17º Congresso Internacional de Tintas – parte da Abrafati 2021 – foi aberto e estará disponível até 10 de março. Dessa forma, haverá bastante tempo para que os profissionais interessados em compartilhar suas mais recentes pesquisas e descobertas possam preparar e enviar seus trabalhos para avaliação do Comitê Científico.

A expectativa para esta edição do Congresso é muito positiva, tanto no que se refere à qualidade e abrangência da programação, quanto pelas inovações e aprimoramentos que serão trazidos a partir da expertise técnica da Vincentz e da NürnbergMesse, parceiras da Abrafati no evento. Entre as novidades já implementadas, está um sistema robusto e amigável para a inserção virtual dos papers.

A programação estará focada em apresentações técnico-científicas, não contemplando conteúdos comerciais ou de vendas. Por isso, são esperados estudos que mostrem inovações de impacto e resultados de pesquisas em andamento ou recém-concluídas.

Os temas que mais mobilizam as equipes de pesquisa e desenvolvimento da cadeia produtiva estarão em forte evidência, incluindo aqueles cuja relevância vem crescendo nos últimos meses, como as tintas com atributos ligados à saúde e segurança, os produtos de base biológica (biobased), os recursos da nanotecnologia e a digitalização na indústria, entre inúmeros outros aspectos relacionadas às demandas do consumidor e dos diversos mercados atendidos pelo setor de tintas.

Para a avaliação do seu paper, o candidato deverá enviar um resumo para avaliação do Conselho Científico do Congresso, em português ou inglês, informando também seus dados profissionais.

Para submeter um trabalho, acesse https://flame.firebird.systems/Vincentz/Abrafati2021/MySubmissions

Fórum Abrafati mostra resiliência do setor e destaca oportunidades

Evento trouxe informações e análises valiosas para entender os cenários atuais e futuros.

 

Realizado pela primeira vez no modo online, o Fórum Abrafati reuniu centenas de profissionais no último dia 10/11 para conhecerem as avaliações sobre o desempenho do setor em 2020 e o panorama para os próximos anos.

A programação, conduzida pela jornalista Karyn Bravo, começou com uma apresentação do economista Ricardo Sennes sobre as perspectivas para o país. Ele ressaltou que houve uma redução do risco político, com maior estabilidade nessa área, mas na seara econômica existe a preocupação com as várias questões a serem enfrentadas, entre as quais a situação fiscal, sem que exista um plano robusto a ser implementado.

Na sequência, dois painéis reuniram os 12 membros do Conselho Diretivo da Abrafati para analisar o momento atual e os desafios futuros. No primeiro bloco, participaram Marcos Allemann (BASF), Milton Killing (Killing), Alan Souza (Iquine), Marcelo Cenacchi (Sayerlack), Mateus Aquino (Axalta) e Douver Martinho (Universo), que comentaram a recuperação sólida das vendas no segundo semestre – com as diferenças em termos regionais e de segmentos –  assim como a demonstração da resiliência e da capacidade de adaptação do setor. A postura de otimismo cauteloso para 2021 foi unânime.

Já o segundo painel contou com a participação de Daniel Campos (AkzoNobel), Agnaldo Bergamo (Eucatex), Reinaldo Richter (WEG Tintas), Andreas de Salis (Montana), Marcio Grossmann (PPG) e Freddy Carrillo (Sherwin-Williams). Além de chamarem a atenção para os aprendizados trazidos pela pandemia e para os bons resultados da colaboração de todo o setor em busca de soluções conjuntas, foram apontados caminhos e oportunidades para o futuro, que envolvem aspectos como sustentabilidade, mobilidade, digitalização, melhorias na infraestrutura, importância dos cuidados com a saúde e a experiência do consumidor com a pintura.

 

A gravação do evento está disponível no canal da Abrafati no YouTube.

Fórum Abrafati apresentará cenários e desafios da cadeia de tintas

Evento online na próxima terça-feira reunirá os executivos principais de importantes players do setor.

 

A 13ª edição do Fórum Abrafati realiza-se no próximo dia 10 de novembro, das 16h00 às 18h00 com uma programação de altíssimo nível. Será uma oportunidade única de conhecer o que pensam as lideranças da indústria sobre o momento atual e o futuro.

O evento se inicia com uma apresentação do economista Ricardo Sennes sobre as perspectivas econômicas. Na sequência, haverá dois painéis sobre o setor de tintas, com a participação de todos os membros do Conselho Diretivo da Abrafati, que são também os principais executivos de importantes fabricantes.

Com o tema Retrato da Indústria Hoje, o primeiro desses painéis reunirá Alan Souza (Iquine), Douver Martinho (Universo), Marcelo Cenacchi (Renner Sayerlack), Marcos Allemann (BASF), Mateus Aquino (Axalta) e Milton Killing (Killing).

Já o segundo painel, tendo como tema Como Será o Amanhã, contará com a participação de Agnaldo Bergamo (Eucatex), Andreas de Salis (Montana), Daniel Campos (AkzoNobel), Freddy Carrillo (Sherwin-Williams), Marcio Grossmann (PPG) e Reinaldo Richter (WEG).

Totalmente online, com moderação da jornalista Karyn Bravo, o Fórum Abrafati manterá a sua qualidade e o seu objetivo, permitindo entender melhor onde a indústria de tintas está e para onde vai.

Combate à não conformidade obtém novos resultados

Mais dois fabricantes que não cumpriam as especificações das normas técnicas assinaram termos com Ministérios Públicos estaduais, comprometendo-se a abandonar essa prática lesiva ao consumidor.

 

A pandemia não impediu o prosseguimento do trabalho de defesa do consumidor contra a não conformidade em tintas imobiliárias. A gradual normalização das atividades do Poder Judiciário resultou na assinatura de dois novos TACs (Termo de Ajustamento de Conduta) nas últimas semanas, entre fabricantes classificados como não conformes e os Ministérios Públicos dos estados de Minas Gerais e do Rio Grande do Sul.

Os problemas nos produtos desses dois fabricantes foram detectados em avaliações feitas no âmbito do Programa Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias (PSQ), que serviram como base para representações apresentadas pela ABRAFATI à Justiça. Um dos casos era ainda mais grave, por envolver o excesso de chumbo em esmaltes sintéticos.

As empresas comprometeram-se a comercializar apenas tintas próprias ao consumo, fabricadas em conformidade com as normas técnicas e com a legislação referente ao chumbo. Além disso, assumiram a responsabilidade de fazer o recall dos produtos não conformes colocados no mercado.

Com esses dois novos termos, já são 13 os TACs assinados por fabricantes de tintas, que estimulam as empresas a mudar de postura, melhorando seus produtos e fazendo com que atendam aos requisitos das normas técnicas. Esse caminho está alinhado ao que a ABRAFATI vem defendendo ao longo dos anos: ampliar a oferta de tintas com qualidade disponíveis para o consumidor e contribuir para a isonomia competitiva entre os fabricantes.

Prêmio ABRAFATI: últimos dias para se inscrever

Vencedores de edições anteriores destacam o valor desse importante reconhecimento para a carreira profissional.

No dia 29 de outubro, encerram-se as inscrições para a 21ª edição do Prêmio ABRAFATI de Ciência em Tintas. Os primeiros trabalhos começaram a chegar, mas ainda há tempo para concorrer a essa premiação, que distribui aos vencedores um valor total de R$ 35 mil: R$ 20 mil para os autores classificados em 1º lugar, R$ 10 mil para o 2º lugar e R$ 5 mil para o 3º lugar.

Para quem desenvolve pesquisas relacionadas às tintas, trata-se de uma excelente oportunidade de ter um reconhecimento valioso. Esse aspecto é destacado por vencedores de edições anteriores, ligados ao meio acadêmico ou à indústria. É o caso do professor Marcos Fernandes de Oliveira, das Faculdades Oswaldo Cruz, da pesquisadora Alana Alves Rodrigues, da Universidade Federal de Viçosa, e do pesquisador independente Manuel Julimar Lopes.

Outro importante benefício é o estímulo à necessária integração entre universidade e indústria, juntamente com a oportunidade de desenvolver soluções inovadoras que encontrarão aplicação na prática. É o que ressaltam outros ganhadores, como o pesquisador Adilson Roberto Gonçalves, da Unesp, o professor Fernando Codelo Nascimento, que leciona em diversas faculdades, assim como a professora Milady Apolinário da Silva, da Universidade Federal de Itajubá (MG).

Acesse os depoimentos de ganhadores em: https://www.youtube.com/channel/UCFt7t002TPeb5ZTtCF7DJ6w