Pular para o conteúdo

Sessão Pôster enriquecerá programação do Congresso com estudos inovadores

Estudos mostrarão inovações em matérias-primas e processos, com foco na sustentabilidade e performance.

Somando-se às mais de 100 apresentações orais na programação do Congresso e do Seminário de Cura por Radiação, 41 trabalhos estarão em destaque na Sessão Pôster, ampliando a oferta de conteúdo de qualidade na ABRAFATI 2015.

São estudos de alto nível, de pesquisadores da indústria e de instituições acadêmicas, que abordam temas relevantes para a cadeia de tintas, como inovações que apontam caminhos para a tinta do futuro.

As matérias-primas biorrenováveis e o reaproveitamento de resíduos nos processos de produção estarão em evidência, assim como resinas e aditivos de última geração, que otimizam propriedades das tintas. Também há diversos trabalhos com foco na redução ou eliminação das emissões de VOCs (compostos orgânicos voláteis).

“Os estudos apresentados sob a forma de pôster agregam muito valor ao Congresso, tanto no que se refere ao seu conteúdo quanto nas possibilidades que oferecem de interação com os autores. Os temas são bastante relevantes e variados, abrangendo soluções para os diversos tipos de tintas: imobiliárias, automotivas, de manutenção, de demarcação, tinta em pó e outras”, afirma Telma Florêncio, coordenadora da ABRAFATI 2015.

A Sessão Pôster permanecerá instalada no foyer do Congresso, ao lado do stand da ABRAFATI  e permitirá a todos os congressistas e visitantes da exposição ter contato com os trabalhos e seus autores, durante os três dias de evento, das 8 às 20 horas.

Painel com especialistas internacionais debaterá inovação e sustentabilidade

No segundo dia do evento, a Sessão Plenária terá um perfil diferente, permitindo conhecer diferentes visões sobre o mesmo tema.

Três convidados internacionais muito respeitados, cada um deles representante de um importante segmento, serão a atração da Sessão Plenária que abre a programação do 2o dia da ABRAFATI 2015 (14 de outubro, às 8h30). Eles participarão de um painel especial que abordará inovação e sustentabilidade nas tintas, permitindo enxergar de forma abrangente a evolução desses temas na indústria.

Andrew Doyle, presidente da American Coatings Association, trará uma visão institucional do tema, abordando tanto as iniciativas conduzidas nos Estados Unidos quanto aquilo que vem sendo planejado e realizado em âmbito global, sob a liderança do IPPIC (International Paint and Printing Ink Council).

Já Keith Watson, diretor global da Dow Chemical Company em Pesquisa e Desenvolvimento para Tintas/Revestimentos e Monômeros de Performance, falará sob o ponto de vista de um importante player da cadeia de tintas, a partir do amplo conhecimento que detém sobre sustentabilidade no setor e sobre os principais desafios globais do mercado em relação a esse tema.

Por sua vez, o professor Jamil Baghdachi – que fez uma apresentação muito elogiada na ABRAFATI 2013 – mostrará a visão de uma liderança do meio acadêmico. Dirigindo o Coatings Research Institute da Eastern Michigan University, onde se realizam pesquisas de ponta, ele  reúne todas as condições para abordar as inovações e tendências tecnológicas que estão surgindo no horizonte.

“Reunindo especialistas que têm muito a dizer, o painel será uma oportunidade única para termos um retrato mais claro do status atual da inovação e da sustentabilidade no setor”, afirma Dilson Ferreira, presidente-executivo da ABRAFATI.

Lançada campanha contra aumento de impostos

Liderada pela Fiesp, iniciativa conta com o apoio da ABRAFATI.

Foi lançada dia 21 de setembro a campanha “Não vou pagar o Pato”, contra a criação e o aumento de impostos propostos pelo governo. O lançamento ocorreu na Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), que está à frente dessa iniciativa, que conta com a participação da ABRAFATI e de inúmeras outras associações, federações e sindicatos da agricultura, do comércio, dos serviços e da indústria, que dão ao movimento uma dimensão nacional.

A campanha envolve várias ações, entre as quais um manifesto para colher assinaturas de toda a sociedade com o objetivo de pressionar o governo a não promover mais uma elevação da carga tributária no momento de crise em que se encontra o Brasil.

“O ajuste fiscal é necessário, mas precisa ser feito por meio de corte de gastos e não subindo impostos”, afirma Paulo Skaf, presidente da Fiesp.

“Os setores produtivos se posicionam firmemente contra aumentos de tributos, que prejudicam ainda mais a atividade econômica. Medidas nessa direção causariam forte impacto nos custos e na competitividade das empresas, que hoje já enfrentam um ambiente muito difícil”, acrescenta Dilson Ferreira, presidente-executivo da ABRAFATI.

Clique no link abaixo para ter acesso ao site da Campanha.

( Link: http://www.naovoupagaropato.com.br/eudigonaoaoaumentodeimpostos/)

Congresso terá conteúdo variado e de alta qualidade

Disseminação de conhecimentos sobre inovações está assegurada por programação rica e variada, com número maior de palestras e a participação de experts de todo o mundo.

Destacando as mais recentes pesquisas e tendências tecnológicas, dando especial ênfase à sustentabilidade, o Congresso reunirá os principais especialistas globais da indústria e do meio acadêmico.

O Comitê Científico, formado por profissionais de reconhecida competência, avaliou e selecionou os estudos recebidos do ponto de vista da relevância, da inovação e da contribuição trazida à evolução das tintas. “A elevada qualidade dos trabalhos submetidos à avaliação levou à decisão de aumentar o número de palestras para 90 nesta edição”, explica Gisele Bonfim, gerente técnica e de Assuntos Ambientais da ABRAFATI e coordenadora do Comitê, juntamente com Jorge Fazenda.

Outros membros do Comitê confirmam essa afirmação. É o caso de Celdia Bittencourt Guedes Lizardo, da BASF: “Recebemos trabalhos excelentes e bem variados, abrangendo diversas tecnologias que serão úteis para os profissionais de toda a cadeia de tintas. Dentre eles, destaco estudos científicos envolvendo matérias-primas, embalagens, ciclo de vida de produtos e novos conceitos de tinta”.

 Maria Cristina K. C. de Carvalho, da Renner Sayerlack, segue a mesma linha de raciocínio: “Surpreendi-me muito positivamente com os estudos recebidos, alguns dos quais, de caráter bem técnico, apresentados recentemente no Congresso do European Coatings Show 2015. Isso realmente confirma a importância do nosso Congresso no cenário internacional”.

Sustentabilidade em produtos e processos de pintura será tema de Jane Valenta

Vice-presidente de Meio Ambiente, Saúde e Segurança da PPG Industries, palestrante tem vasta experiência na indústria de tintas e uma sólida formação técnica.

 A palestra da química Jane N. Valenta na Sessão Plenária do dia 15 de outubro será uma das atrações especiais da ABRAFATI 2015. Vice-presidente da PPG Industries, ela falará sobre sustentabilidade no desenvolvimento de produtos e processos de pintura, assunto no qual é especialista e atua na empresa em âmbito mundial.

Responsável na empresa por assuntos ambientais, administração de produtos, saúde, segurança, garantia de conformidade e assistência médica, ela tem uma ampla experiência na análise e implementação de boas práticas, que se soma à sua consistente formação, em que se destacam a graduação em Química pela Texas Tech University, o mestrado e o doutorado em Química Analítica na Universidade de Pittsburgh.

“A sustentabilidade pode ser definida de diferentes formas, dependendo da perspectiva da pessoa, principalmente na indústria de tintas. Se alguém perguntar a um formulador, um gerente de produção, um especialista em EHS (Meio Ambiente, Saúde e Segurança) e um pintor a definição dos atributos de uma tinta sustentável, descobrirá que não há duas respostas exatamente iguais. Existem diferentes expectativas do que um produto sustentável deve oferecer”, explica Jane Valenta. “Por isso, minha apresentação se concentrará na evolução das tintas e da sustentabilidade: passado, presente e futuro, de diversas perspectivas diferentes”, acrescenta.

 

 

Cura por radiação estará em destaque no Congresso

Seminário promovido em conjunto com a RadTech South America mostrará os principais avanços relacionados a essa tecnologia.  

 Com a participação de especialistas muito conceituados em âmbito global, o quarto Seminário ABRAFATI-RadTech South America de Cura por Radiação será uma das atrações da ABRAFATI 2015.

O Seminário amplia a programação de qualidade oferecida aos participantes da ABRAFATI 2015, destacando os mais recentes desenvolvimentos e as tendências relacionadas à utilização de cura por radiação.

Estarão em evidência temas como os revestimentos UV aquosos, que trazem benefícios nos aspectos de sustentabilidade e saúde ocupacional, assim como a nova tecnologia UV LED, que apresenta várias vantagens, entre as quais a significativa economia de energia em comparação ao UV tradicional. Diversas outras inovações serão apresentadas em uma série de 12 palestras, como a cura por Electron Beam.

“O Seminário trará conhecimento e agregará valor para os participantes sobre o que há de mais atual e inovador na tecnologia de cura por radiação. Na realidade atual, essa tecnologia ganha cada vez mais importância, pois é sustentável e amigável ao meio ambiente”, afirma Maria Cristina de Carvalho, diretora-presidente da RadTech South America.

“Nas edições anteriores, o seminário aportou uma importante contribuição, proporcionando conhecimentos e estimulando discussões essenciais para o futuro da cadeia de tintas. Este ano, o programa manterá o alto nível, em função do compromisso da RadTech South America em escolher os temas mais atuais e inovadores”, afirma Dilson Ferreira, presidente-executivo da ABRAFATI.

 

Antonio Carlos Lacerda analisará os cenários para a cadeia de tintas

Na Sessão Plenária que abrirá a ABRAFATI 2015, serão destacados os desafios e as oportunidades da indústria para os próximos anos.

Presidente do Conselho Diretivo da ABRAFATI e vice-presidente sênior da BASF para a América do Sul, Antonio Carlos Lacerda será o palestrante da Sessão Plenária que abrirá oficialmente o Congresso Internacional de Tintas, no dia 13 de outubro.

Ele apresentará suas reflexões sobre o panorama futuro da cadeia de tintas no Brasil e na América do Sul, tanto no que diz respeito às perspectivas de crescimento, quanto no que se refere às transformações que o mercado sofrerá.

Lacerda considera que existe um grande potencial para aumentar o volume de vendas, que vai muito além da superação do momento econômico atual. Entre os desafios a serem equacionados, ele aponta a necessidade de entender melhor as demandas atuais e futuras dos usuários, assim como de aumentar, na sociedade, o reconhecimento em relação aos benefícios que as tintas trazem.

“Isso implica direcionar os esforços de pesquisa e desenvolvimento para a obtenção de ganhos em qualidade, performance e sustentabilidade, sempre que possível adicionando também novas funcionalidades aos produtos. Ao mesmo tempo, é preciso que as tintas sejam cada vez mais amigáveis do ponto de vista da aplicação e que desenvolvamos campanhas que comuniquem bem como nossos produtos contribuem para proteger, preservar, embelezar e valorizar as superfícies e bens em que são utilizados”, afirma Antonio Carlos Lacerda.

Fórum ABRAFATI mostra cenário difícil e prevê retomada do crescimento só a partir de 2017

Evento apontou queda nas vendas este ano e estagnação em 2016, destacando os desafios e as oportunidades existentes.

No último dia 26 de agosto, 120 executivos e lideranças da cadeia de tintas participaram do 10o Fórum ABRAFATI, debatendo a situação atual e as perspectivas do setor. A conclusão que emergiu foi a de que, depois de um 2015 com significativa retração, virá mais um ano com baixo ou nenhum crescimento.

O ex-ministro Mailson da Nóbrega destacou que a economia não melhorará muito nos próximos três anos. Para 2016, previu crescimento de 0,1% do PIB. “A situação não é nada brilhante, mas está longe de ser catastrófica. Nosso desafio principal são as reformas para ganhar produtividade”, afirmou.

No que se refere ao mercado de tintas, Antonio Lacerda, presidente do Conselho Diretivo da ABRAFATI e vice-presidente sênior da BASF, previu queda de 4% nas vendas neste ano e desempenho um pouco melhor em 2016, quando se espera crescer, mas menos de 1%.

Na construção civil, tema de apresentações de Eduardo Zaidan, vice-presidente do Sinduscon-SP, e Claudio Conz, presidente-executivo da Anamaco, a situação também é complicada. Porém, enquanto a queda na produção de imóveis em 2016 é dada como certa, o varejo espera seguir crescendo com as compras de materiais para manutenções e reformas.

Para fazer frente a essa conjuntura complexa, Lacerda destacou a necessidade de investir em produtos cada vez melhores e mais sustentáveis. Esses temas também estiveram presentes no painel sobre os desafios da indústria de tintas, com participação de João Roberto Benites (vice-presidente da Valspar), Jaime Dal Farra (diretor-geral da Resicolor) e Douver Martinho (diretor-presidente da Universo), no qual foram destacadas ainda outras oportunidades para o setor avançar: rapidez na obtenção e processamento de informações, aumento da produtividade e oferta de serviços com qualidade superior.

“Foi mostrado um cenário muito desafiador, ao mesmo tempo em que se chamava a atenção para o potencial existente. As palestras, o painel e as manifestações do participantes fornecem informações muito ricas para o planejamento”, afirma Dilson Ferreira, presidente-executivo da ABRAFATI.

Setor industrial se mobiliza para evitar aumento de impostos

ABRAFATI participa de reuniões com vice-presidente da República e lideranças do Congresso para apresentar proposta alternativa ao fim da desoneração da folha de pagamento.

Representantes de várias entidades empresariais, entre as quais a ABRAFATI, estiveram ontem em Brasília para defender uma alternativa ao projeto de lei que estabelece uma mudança no regime de desoneração fiscal da folha de pagamento. O objetivo é dar uma contribuição expressiva para o ajuste fiscal, mas reduzindo o impacto do aumento dos tributos.

Essa desoneração, que tem grande importância para a indústria de tintas, foi defendida desde o início pela ABRAFATI, assim como por outros setores. Liderado por Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o movimento cresceu e ganhou força para buscar um acordo que leve o projeto de lei a ser modificado. Ontem, o grupo de empresários reuniu-se com o vice-presidente da República, Michel Temer, que recebeu bem a proposta, destacando a união do grupo como um fator chave para o sucesso. Depois disso, foi a vez de um encontro com o presidente do Senado, Renan Calheiros, que reconheceu a importância do tema e o levou para nova reunião, com os líderes das bancadas e o relator do projeto, senador Eunício Oliveira. O grupo também esteve com o deputado Eduardo Cunha, que foi sensibilizado por seus argumentos.

“Sabemos da situação das contas públicas e concordamos em dar a nossa contribuição. Queremos evitar, no entanto, que se onere excessivamente a indústria em um ano difícil como o atual, o que prejudicaria ainda mais a atividade econômica”, afirma Dilson Ferreira, presidente-executivo da ABRAFATI.

Revista ABRAFATI 104: versão em inglês está no ar

A ABRAFATI 2015 e suas atrações são o tema principal, destacando a importância do evento para o desenvolvimento tecnológico e o crescimento do setor.

Com um resumo das principais matérias da edição em português, a versão em inglês da Revista ABRAFATI já pode ser acessada no site da Associação.

Um conjunto de matérias aborda a ABRAFATI 2015, trazendo informações sobre os motivos pelos quais se trata de um programa imperdível para quem atua na cadeia de tintas: as análises e reflexões de grandes personalidades nas Sessões Plenárias, a elevada qualidade da programação do Congresso – com número de palestras 25% maior – e as oportunidades de contatos e negócios abertas pela Exposição.

A sustentabilidade também tem forte presença na edição, com matérias sobre a aprovação de nova classificação de embalagens de tintas imobiliárias, a implantação de pontos de entrega voluntária de latas de aço e os avanços do Programa Coatings Care.